Babá doa parte do fígado e salva menina de 16 meses nos EUA

Babá doa parte do fígado e salva menina de 16 meses nos EUA

Talia Rosko tinha apenas dois meses quando foi diagnosticada com atresia biliar, doença em que o fígado sofre uma obstrução em um ou mais dutos que transportam a bile, e, segundo os médicos, não viveria além dos dois anos sem um transplante. O que seus pais não esperavam é que a babá contratada para cuidar da filha salvaria sua vida.

Kiersten Miles tinha 21 anos e estudava em uma universidade em Jackson, nos Estados Unidos, quando se tornou babá de Talia e seus irmãos. Após três semanas trabalhando para a família, a jovem se ofereceu para testar se era uma doadora compatível, o que foi confirmado nos exames.

Os pais de Talia, George e Farra, avisaram à jovem que o transplante de fígado “não era como uma simples doação de sangue”.

Os médicos alertaram, por exemplo, que Kiersten não poderia mais doar parte do fígado, nem mesmo para um parente; ainda assim a babá-doadora aceitou os riscos.

Depois de mais alguns meses de testes e papelada, Kiersten e Talia se submeteram à operação, que totalizou 14 horas, em prédios diferentes do Hospital da Universidade da Pensilvânia, no começo de janeiro.

A bebê recebeu alta depois de nove dias. Kiersten ainda se recupera da cirurgia e usou a atenção gerada pelo caso nas redes sociais para destacar a importância da doação de órgãos.

bol

01/02/2017